Maria Marques Deniz

"Depois de curto sofrimento e confortada com os Sacramentos da Igreja, faleceu a 9  de Outubro do corrente, a Senhora Maria Marques Deniz, mâi virtuosíssima, duma humildade que  se impunha e dum carácter digno de servir exemplo.
Neste momento bem se pode afirmar que não há pobrezinho que não sinta a sua falta, pois muitos eram eles que ali encontravam pão para o corpo e saúde de alma - tantos foram os seus socorridos!
E as obras da sua terra ! Não é que com estas esbanjasse fortunas, que não as possuía, mas a nenhuma delas se furtava, quando mais não fosse com a sua simbólica presença. Era vê-la em tôdas as festas escolares, sessões solenes, ora presidindo, ora secretariando, e sempre alinhando ao lado dos que nunca faltavam.
Não queremos aqui mencionar a razão porque o seu retrato foi há muito descerrado na escola Feminina mas êle ali perpètuará o procedimento altivo da sanguinheirense ilustre.
Faz falta a Senhora Maria da Loja. Todos os dias os pequeninos a viam sair da Capela, olhando para o chão, pelo muito que havia olhado para o alto, levando agora ambas as mãos ocupadas: o rosário que lhe amparava a alma, e o bordão que a ajudava no equilíbrio do  andar.    
E quem jàmais poderá esquecê-la, naqueles dias de 1 de Dezembro, em que ela oferecia sempre alguma coisa para o magusto da crianças ! E como ela se esquecia das suas sete ou oito décadas (tinha oitenta e cinco anos) num dia às vezes Tam frio e sempre barulhento !
Mas onde ela se nos mostra verdadeiramente digna, é naquela atitude de aprumo moral, quando nos fala dos seus dezôito filhos, dos quais inda vivem onze.
Não queremos tirar o colorido dêste último quadro. O seu corpo repousa hoje no cemitério da freguesia da Tocha, donde era natural, e para onde foi levado em respeitosa procissão fúnebre, sendo recitado o terço e a ladaínha de N. Senhora durante o trajecto.
Fonte : Jornal Boa Nova de 20 de Outubro de 1943